Marketing em tempos de crise

Custo ou Investimento?

Com a crise econômica no Brasil, muitas empresas passam por esta dúvida. As opiniões de especialistas divergem quanto à existência de uma crise. Enquanto uns afirmam que estamos passando por um período de recessão econômica outros, mais otimistas, entendem que é neste momento em que o dinheiro muda de mãos, portanto é um período de oportunidades.


Independente de a crise ser ou não uma realidade, fato é que muitas empresas tiveram seus resultados afetados de forma negativa recentemente, o que faz com muitas adotem posições defensivas, repensando sua estratégia de marketing e cortando gastos desnecessários..


Enxugar custos que não trazem retorno para a empresa é fundamental, entretanto notamos que há um senso comum de que a área de marketing é uma das primeiras e mais afetadas durante a crise. Isso ocorre porque muitos empresários ainda têm uma visão de marketing como sendo um apoio e que gera uma grande quantidade de despesas. Será que isso é verdade?


De modo geral, temos 2 tipos de posicionamentos quanto ao marketing: as empresas que se posicionam como sendo uma despesa e as que entendem como investimento.


Você já se perguntou por que tem gente que se torna milionário operando ações na bolsa de valores enquanto alguns perdem tudo rapidamente? De modo geral, o operador inexperiente recua e vende suas ações na crise e corre para investir quando o vento está à favor, de forma que paga caro e vende barato. Já o operador com maior experiência faz justamente o contrário, comprando e investindo durante a crise para colher os frutos mais tarde.


Seguindo este mesmo pensamento, avalie o fato de que muitas empresas estão incertas quanto ao mercado econômico, cortanto investimentos e dando passos para trás. É justamente por isso que este é um excelente momento para se investir em marketing, repensar suas estratégias, sua identidade visual, seu posicionamento na internet, seu site, etc. Talvez esta seja a hora em que seus concorrentes estejam recuando com medo da crise.


27 de Maio de 2017